Início

Ensino de Zoologia e a Pedagogia da Alternância: Reflexões sobre a prática docente

ENSINO DE ZOOLOGIA E A PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE

LETÍCIA COELHO DOS SANTOS

Clique aqui para o download do texto completo em PDF

RESUMO

Premissas atuais para o Ensino da Zoologia no contexto educacional expõem um panorama de desafios que precisam ser superados de modo que a prática pedagógica na Educação do/no Campo seja ressignificada. Assim, faz-se iminente e necessário incluir no currículo de Ciências e Zoologia da Educação do/no Campo temas como perda de biodiversidade, poluição, comércio e abate ilegal de animais silvestres, com o propósito de favorecer um Ensino de Zoologia crítico e contextualizado aos problemas locais e universais. A presente pesquisa foi realizada na Escola Estadual Rural Taylor-Egídio, escola de Educação do Campo, na cidade de Jaguaquara-Bahia, Brasil. A referida escola tem como proposta de organização pedagógica a Pedagogia da Alternância (PA), numa dinâmica na qual o educando/a alterna entre os espaços de aprendizagens, o tempo-escola e o tempo-comunidade. O objetivo geral deste trabalho foi investigar como a Zoologia vem sendo ensinada na ERTE, escola do campo, nos princípios da Pedagogia da Alternância. A pesquisa tem caráter qualitativo, utilizando como instrumento para a obtenção dos dados, a análise do Projeto Político Pedagógico e a matriz curricular do Ensino Fundamental da referida escola.  Também foi utilizada a caderneta de campo e registros fotográficos dos dados observados nas etapas de realização da pesquisa e a entrevista semiestruturada realizada com 7 (sete) professores de Ciências do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental que foram gravadas em áudio e posteriormente transcritas. Como expectativa inicial, esperávamos que os professores de Ciências da ERTE, desenvolvesse suas práxis incluindo temas emergentes do contexto ambiental em diálogo com os saberes dos estudantes campesinos que os levasse a reflexões sobre a fauna, a valorização e importância dos animais na natureza em detrimento de ações puramente antropocêntricas e utilitaristas. Os resultados, que não foram os expectados, apresentaram falta de base teórica por parte dos professores de Ciências, acerca da Educação do/no Campo e Pedagogia da Alternância, Ensino de Ciências e Zoologia. Estes resultados mostram de maneira explícita que os professores de Ciências da ERTE tem dificuldade para trabalhar com os conteúdos zoológicos numa perspectiva da conservação da biodiversidade animal. O caráter antropocêntrico ainda está presente no ensino de Ciências da ERTE reforçando as representações preconceituosas que costumamos ter sobre os animais. Diante das reflexões realizadas, a presente pesquisa visa contribuir com os “não saberes” de docentes das escolas campesinas. Saberes ainda não consolidados e sistematizados acerca do Ensino de Ciências e Zoologia na Educação do/no Campo na pedagógica da Alternância.

Palavras-chave: Educação do/no Campo. Ensino de Ciências. Prática docente.

Zoologia. Conservação.

Minidicionário do falar rural (livro completo)

 

Clique no link abaixo para fazer o download do livro completo em em PDF:

Minidicionário falar camponês de Jaguaquara – Bahia 2013

Um minidicionário do léxico e das  expressões utilizadas pelos camponeses de Jaguaquara‐Ba foi um sonho que acalentamos desde a inauguração da Escola Estadual Rural Taylor‐Egídio (ERTE), em março de 2001.

Em 2005, a partir da disposição e do espírito de pesquisa dos discentes do segundo semestre da disciplina Língua Portuguesa III, do Curso de Letras da UESB, demos o passo inicial para a documentação efetiva de um léxico e de uma sintaxe peculiares aos camponeses, que devem ser preservados por de registros como este.

Assim, em novembro de 2005, os referidos discentes, em parceria com os docentes da ERTE, participaram da primeira edição do minidicionário do falar rural das famílias camponesas, cujos filhos e netos eram alunos do projeto ERTE.

Naquele momento, a equipe discente da UESB responsável pela produção final do trabalho foi composta por: Edméia da Silva Casaes, Fagner da Silva Souza, Israel Nery santos, Jeane Borges dos Santos, Mary Sandra Bispo Barros, Nara Silva de Oliveira e Romilda da Conceição Silva.

Neste instante, oito (8) anos após a primeira edição, o mesmo espírito de pesquisa e compromisso foi encontrado nos discentes do Curso de Letras da UESB, da disciplina Língua Portuguesa III, terceiro semestre matutino, 2012/II. Então, decidimos dar continuidade à pesquisa. Desta feita, acrescentando as análises dos fenômenos linguísticos encontrados.

A presente edição traz informações sobre palavras frases, localidades e cacterísticas dos falantes camponeses que contribuíram para a realização e sistematização da pesquisa. Apresenta palavras e frases na variável padrão, utilizadas por falantes urbanos. E busca nomear e/ou explicar os fenômenos linguísticos.

Sonilda Sampaio